Uma boa notícia: aprovado pela AGDI o projeto do Centro de Simulação Naval para Rio Grande

0
542
IMPRIMIR
O projeto contará com um investimento da ordem de R$ 1 milhão, e levará cerca de 18 meses para a implantação a contar da celebração de convênio com a entidade executora.

A AGDI aprovou e homologou o projeto de implantação de um Centro de Simulação de Manobras Navais(CSN) apresentado pela Associação Arranjo Produtivo Local do Polo Naval e Offshore de Rio Grande e Entorno (APL) no âmbito do Edital de Projetos Prioritários 03/2015 da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI). O resultado foi publicado no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul de 16/10/2015.

O edital selecionou projetos dos arranjos produtivos locais enquadrados e reconhecidos pelo Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, para apoio financeiro com recursos do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).

Esta é a primeira etapa para a implantação do CSN. A AGDI selecionará a entidade executora do projeto. A notícia estava sendo aguardada com muita ansiedade pela equipe do APL, que, no contexto de geração e disponibilização de serviços técnicos e tecnológicos locais, identificou junto às áreas técnicas de importantes atores do arranjo, dentre eles PETROBRAS e ECOVIX, a necessidade de se instalar um CSN em Rio Grande capaz de modelar os fenômenos hidrodinâmicos da região, atender as empresas associadas ao APL e também a demais entidades beneficiárias do estuário da Lagoa dos Patos e entorno, com o objetivo de promover ganho de qualidade e produtividade, resultando em maior competitividade no mercado para as empresas que utilizam embarcações.

“Diante da inexistência de um simulador marítimo hidroviário no estado do Rio Grande do Sul, e da baixa disponibilidade de uso dos simuladores navais existentes no Brasil e no exterior, a APL propôs a criação do CSN, que permitirá a realização de manobras com margens de segurança maiores, minimizando a possibilidade de acidentes ambientais e de trabalho, além da agregação de valor à cadeia produtiva da região por meio do incremento de seu nível tecnológico”, disse Isabella de Cillo Medeiros, coordenadora executiva da APL em Rio Grande.

Segundo ela, o Centro funcionará como elemento de atração de empresas de base tecnológica para o APL, além de constituir uma fonte fundamental de receita para a Associação APL, contribuindo sobremaneira com a sustentabilidade da governança do Arranjo.

A redação do projeto vencedor foi capitaneada pelo Diretor de Tecnologia e Inovação da Associação APL e Diretor da INOVIX, Alexandre Canhetti, com apoio essencial do Engenheiro Naval Fernando Faria, da ECOVIX, além de uma equipe multidisciplinar da Associação APL. O Projeto contou também com o apoio técnico dos Engenheiros Navais Higor Medeiros, Cesar Illuminati, Guilherme Rueda e Marcelo Varela.

O projeto contará com um investimento da ordem de R$ 1 milhão, e levará cerca de 18 meses para a implantação a contar da celebração de convênio com a entidade executora. “Ao conquistar este Projeto, a APL cumpre parte de seu papel de aumentar as condições locais de crescimento da produtividade e competitividade da Indústria de Óleo e Gás”, concluiu a coordenadora executiva da APL.