Porto de Suape chega aos 42 anos com recorde histórico de movimentação

0
109
IMPRIMIR
No cenário nacional, o Porto de Suape aparece em primeiro lugar na movimentação de cabotagem (entre portos do mesmo país)

O Complexo Industrial Portuário de Suape acaba de completar 42 anos acumulando recordes de movimentação, atraindo novos negócios e passando por uma grande transformação digital e socioambiental. Até setembro de 2020, Suape ocupava o quinto lugar entre os portos públicos, conforme dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), e obteve um crescimento de 7% na movimentação portuária em comparação com o período de janeiro a setembro de 2019.Foram 18.743.032 de toneladas movimentadas, o maior volume de cargas já movimentadas na história do porto, em plena pandemia.

— Nesse ano atípico, passamos por uma série de mudanças para garantir o abastecimento da população e a segurança dos trabalhadores portuários. Tem sido um período de muitas parcerias, muita articulação, criatividade e trabalho duro, que vêm garantindo não só excelentes resultados na movimentação de cargas, mas o andamento de quase todos os nossos projetos.

Graças ao apoio de toda a comunidade portuária e da sensibilidade do Governo do Estado e Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que vêm tratando esse momento de crise com tanta responsabilidade e competência, Suape chega aos 42 anos como um termômetro de que a economia de Pernambuco vai bem e no rumo certo — afirma o presidente de Suape, Leonardo Cerquinho.

No cenário nacional, o Porto de Suape aparece em primeiro lugar na movimentação de cabotagem (entre portos do mesmo país), com 12.412.046 de toneladas movimentadas entre janeiro e setembro — 10,5% a mais que no mesmo período do ano passado. Também mantém a liderança na movimentação de granéis líquidos no país, com aumento de 8,5% até setembro, somando 14.032.515 de toneladas. No Nordeste, é líder no embarque e desembarque de contêineres e de veículos.

Ampliações

Entre novas empresas instaladas e ampliações, R$ 696,5 milhões em investimentos privados estão sendo alocados no território. Além do Laboratório Aché, que inaugurou uma primeira etapa e continua em obras (um investimento de R$ 660 milhões com geração de três mil empregos), chegaram ao complexo a Ziralong, empresa de armazenamento e transporte de contêineres, com investimento de R$ 15,5 milhões e geração de 95 empregos diretos e 120 indiretos, e a SIW Kits Eólicos, sistema da LM Wind Power, com R$ 10 milhões de investimentos e 40 empregos diretos gerados.

A ampliação da fábrica de embalagens plásticas para bebidas, alimentos, cosméticos e farmacêuticos Plastamp terá R$ 11 milhões aportados. Entre os investimentos previstos em novos terminais, está a instalação de um Terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) pela Golar Power, com investimento de R$ 1,8 bilhão, no primeiro trimestre.

Transformação digital

A empresa vem passando por uma grande transformação digital, adotando uma série de ferramentas de gestão que tornam o serviço mais produtivo, mais transparente, mais ágil e mais seguro. Uma delas é o SuapeGeo, plataforma de tecnologia de geoprocessamento e geolocalização voltada para estudos e informações sobre o território de Suape. A ferramenta auxilia na tomada de decisões de vários setores da empresa, como planejamento, gestão fundiária, patrimônio, meio ambiente, negócios e gestão portuária.

No início da pandemia, ela extrapolou os limites do território e foi utilizada para montar um banco de dados para os caminhoneiros localizarem, em três cliques, no próprio celular, estabelecimentos em funcionamento no Estado para que pudessem se alimentar, abastecer e fazer manutenção nos veículos. A empresa também conta com um sistema integrado de informações do território, todo digitalizado.

O porto vem se consolidando no cenário nacional da inovação, dedicando um departamento exclusivo para tratar do tema, desde o ano passado. Em andamento, trabalho com o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), para implementação de inovação aberta no território. O NGPD atuará como interface na contratação de startups que implementem soluções digitais para desafios do Porto, o que poderá ser feito via encomendas tecnológicas.

Na empresa, colaboradores vêm passando por processos de imersão nos conceitos de inovação, com vários grupos de trabalhos (GTs) formados para que solucionem os desafios traçados por cada setor, com as técnicas ensinadas. Em parceria com o ecossistema de inovação de Pernambuco, a equipe do setor em Suape também vem repassando esses conceitos para empresas de fora do Complexo.

— Esse processo de transformação digital também vem ajudando muito nos resultados da empresa. Além de estarem com a mente aberta para inovar e receptivos ao mundo digital, os colaboradores dispõem de todos os processos digitalizados, o que permitiu a implementação do modelo home office para vários setores administrativos, sem qualquer prejuízo ao trabalho realizado — observa Cerquinho.

Transparência

O trabalho da estatal na área da transparência vem sendo reconhecido pelos órgãos de controle. O desempenho da empresa foi destaque em avaliação da Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE) sobre a atuação dos órgãos e entidades do Poder Executivo estadual. Em ranking divulgado em 2020, mas com relação ao exercício de 2019, sobre o Índice de Adequação ao Sistema de Controle Interno (IAS), Suape ficou em primeiro lugar com 100% de execução dos 34 pontos de controle definidos para avaliação.

Sobre o exercício 2020, a SCGE divulgou uma prévia do ranking de desempenho do IAS até setembro, no qual Suape se mantém em primeiro lugar. Em outro o índice da SCGE, o IAE, o que mede a adequação das estatais à Lei nº 13.303/2016 (Lei das Estatais) e ao Decreto Estadual nº 43.984/2016, Suape ficou em segundo lugar e alcançou um percentual de 97% da meta estabelecida pela SCGE, que foi de 90% de conformidade para o exercício de 2019.