Os 10 maiores mercados de energia eólica

0
291
IMPRIMIR
Por Vanessa Barbosa / Revista Exame

O Brasil ocupa apenas o 21º lugar no ranking dos países produtores de energia eólica

Os ventos estão favoráveis para o setor eólico. Segundo um novo relatório do World Wind Energy Association (WWEA), o mercado de energia eólica está crescendo e muito.O setor alcançou em junho a capacidade instalada global de 215 gigawatts (GW) – o equivalente a quase onze usinas Três Gargantas, a maior do mundo, na China.

E é justamente o gigante asiático que puxa a locomotiva eólica. O país acrescentou mais 8 GW à sua matriz eólica, que hoje representa 43% do mercado mundial. A China conta com 52GW de potência instalada, seguida dos EUA, Alemanha, Espanha e Índia. Juntos, os cinco primeiros países respondem por 74% da capacidade eólica global. Depois, aparecem Itália, França, Reino Unido, Canadá e Portugal.

O relatório também destaca uma série de novos mercados que estão surgindo no mundo. Três países foram adicionados à lista dos que estão utilizando a energia eólica, aumentando o número de 83 para 86: Venezuela, Honduras, Etiópia. A República Dominicana, que já fazia parte do grupo, instalou sua primeira usina eólica grande e aumentou sua capacidade de 0,2 megawatts (MW) para 60,2 MW.

A previsão é de crescimento, com introdução de mais 25, 5 mil MW em projetos pelo mundo. A capacidade eólica instalada total é projetada para alcançar 240 GW até o final deste ano – o suficiente para cobrir quase 3% da demanda de eletricidade em todo o mundo.

O Brasil, por sua vez, ocupa apenas o 21º lugar no ranking dos países produtores de energia eólica, com pouco mais de mil megawatts instalados. Mas, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o país tem capacidade de aumentar em sete vezes o seu potencial até 2014.

Na tabela abaixo, você confere os 10 maiores mercados de energia eólica:

Países MW instalados (até 06/2011)
China 52.800
EUA 42.432
Alemanha 27.981
Espanha 21.150
Índia 14.550
Itália 6.200
França 6.060
Reino Unido 5.707
Canadá 4.611
Portugal 3.960

No Rio Grande do Sul

A Odebrecht Energia assinou o contrato de fornecimento de 40 aerogeradores modelo Eco 122 para seu Complexo Eólico Corredor do Senandes, localizado no município de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. Os equipamentos fazem parte de uma nova serie produzida pela Alstom e possuem alta potência, permitindo o aumento na produção de energia com menor impacto ambiental.

Projeção de como será o Complexo Eólico Corredor do Senandes (RS)

A primeira fase do Complexo Eólico Corredor do Senandes contempla quatro parques eólicos: Corredor do Senandes II, III e IV, e Vento Aragano I. Com início de implantação previsto para o segundo semestre de 2012, os empreendimentos receberão investimentos totais da ordem de R$400 milhões e têm previsão de início de geração no segundo semestre de 2013. Durante a implantação, serão gerados cerca de mil empregos diretos e indiretos.

Fabricados no Polo Industrial de Camaçari (BA), cada aerogerador Eco 122 tem elevada capacidade instalada (2.7 MW), o que permitiu reduzir em mais de 40% o número de unidades geradoras previstas para o Complexo. Desta forma, os quatro Parques Eólicos passaram a deter 108MW de capacidade instalada, atingindo com segurança os 50,5MW médios comercializados no leilão.

Os aerogeradores terão aproximadamente 90 metros de altura e suas pás terão mais de 60 metros de comprimento. A Alstom, além de fornecer os equipamentos, será responsável também pelo fornecimento, montagem dos sistemas elétricos e  subestações. O valor do contrato assinado com a Alstom é de aproximadamente R$300 milhões.

O Complexo Eólico Corredor do Senandes é o primeiro investimento da Odebrecht Energia em energia eólica. A empresa comercializou a energia no Leilão de Reserva, do Governo Federal, em agosto de 2011. Além dos parques em fase inicial de implantação, a empresa possui mais 16 parques a serem implantados, que totalizam 365MW.