Com R$ 40 mi do BNDES, cooperativa modernizará armazenagem de grãos

0
31
IMPRIMIR

O Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um financiamento no valor de R$ 40 milhões para a Cooperativa Frísia modernizar e ampliar unidades de armazenamento de grãos em Carambeí, Imbituva e Tibagi, todos no Paraná.

O projeto tem valor total de R$ 47,9 milhões. Dos recursos aprovados pela instituição financeira, R$ 34,6 milhões são do Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária (Prodecoop), no âmbito do Plano Safra 2023/24, e R$ 5,4 milhões do BNDES Finem, programa de apoio a projetos de investimentos, voltados à geração e aumento de capacidade produtiva.

“A modernização e a ampliação da capacidade de armazenamento de grãos no país são estratégicas para fortalecer as cadeias agroindustriais e para garantir a segurança alimentar no Brasil, objetivos centrais do governo Lula”, explica o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

Segundo o diretor de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES, José Luís Gordon, o projeto também vai contribuir para o aumento da produção da cooperativa e para a geração de renda no campo. “Ao mesmo tempo em que reduz o déficit de armazenagem de grãos no Brasil, o projeto fortalece o cooperativismo como estrutura social de produção, gerando renda ao produtor rural e estimulando sua permanência no campo”, afirma.

Nos últimos dois anos, o BNDES desembolsou R$ 2 bilhões para investimentos que busquem reduzir o déficit de capacidade de armazenagem agrícola no Brasil.

O superintendente da Frísia, Mario Dykstra, destaca a importância do investimento para o contínuo desenvolvimento da região paranaense. “Temos uma ampliação da capacidade produtiva dos cooperados e da cooperativa, o que nos dá segurança e previsibilidade. Além disso, quando produzimos mais e melhor, há reflexo direto para o consumidor final, que terá acesso a uma maior gama de produtos, com qualidade e sustentabilidade”, afirma.