Impactos da pandemia nos modais

0
75
IMPRIMIR

Após quatro meses de crise, empresas de transporte ainda enfrentam forte queda de demanda, de faturamento e restrições de crédito.A situação das empresas de transporte ainda é bastante.

De acordo com a nova rodada da Pesquisa de Impacto no Transporte – Covid-19, divulgada pela CNT em julho, 74,6% das transportadoras apontaram que houve diminuição da demanda em junho, sendo que mais da metade delas (57,2%) avaliou que essa retração foi grande.

A pesquisa revela ainda que, diante das dificuldades de acesso a crédito enfrentadas pelos transportadores desde o início da pandemia, mais de um terço das empresas (34,0%) precisou recorrer ao crédito rotativo. Essa é a linha com as taxas de juros mais elevadas do mercado.

Pesquisa de Impacto no Transporte / Covid-19

4,6%das empresas apontaram que houve diminuição da demanda em junho

80,1% esperavam uma nova diminuição do faturamento em julho

79,8% projetam impactos negativos da crise na empresa por pelo menos mais quatro meses

41,8% afirmaram que a capacidade de pagamento está muito comprometida

26,4% conseguiam permanecer operando com recursos próprios por, no máximo, mais um mês

21,3% precisaram recorrer a linhas de financiamento para complementar o fluxo de caixa e cobrir a sua operação

 

50,7% destacam a necessidade de disponibilização de crédito com carência estendida e taxas de juros reduzidas

52,0% solicitaram aos bancos algum tipo de financiamento, sendo que mais da metade delas (54,3%) teve a sua solicitação negada

39,6%das que conhecem o Pronampe solicitaram crédito pelo programa, sendo que 90,1% tiveram a solicitação negada ou ainda esperavam o retorno do pedido

34,0% precisaram recorrer ao crédito rotativo desde o início da pandemia

50,8%enfatizam a importância da isenção de tributos federais durante a pandemia