Aprovado na Assembleia o projeto de lei que garante o futuro seguro dos portos do RS

0
24
IMPRIMIR
         Aprovação aconteceu no início da noite de hoje, com 48 votos favoráveis e nenhum contrário

Por 48 votos favoráveis e nenhum contrário, a Assembleia Legislativa aprovou, no início da noite desta terça-feira, o projeto de lei nº 230/2021 que autoriza a alteração da natureza jurídica da Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg) de autarquia para empresa pública. A aprovação é resultado de um trabalho intenso liderado pelo governador Eduardo Leite e do secretário estadual de logística e transportes, Juvir Costela, com a intermediação do secretário-chefe da Casa Civil, Arthur Lemos.

Uma reunião de acordo durante à tarde, antes do começo da sessão de votação, contou com a presença de Lemos, do procurador-geral do estado, Eduardo Cunha da Costa, do presidente da Assembleia Legislativa, Gabriel Souza, do lider do governo na casa, deputado Frederico Antunes, do presidente do Sindicato dos Portuários, Rui Mendes, do ex-superintendente do Porto, Janir Branco. A reunião também contou com apoio do secretário estadual de planejamento, governança e gestão, Cláudio Gastal, e o prefeito de Rio Grande, Fábio Branco.

“Isso permite que, definitivamente, o caixa do Porto fique com o Porto e nós tenhamos uma administração mais profissional, que será balizada pela Lei 13.303 que regula as empresas públicas”, afirmou o superintendente dos portos do Rio Grande do Sul, Fernando Estima. Além disso, um novo projeto de lei será levado à Assembleia para definir a situação do quadro funcional, como aposentadoria e direitos dos trabalhadores.

“A nossa intenção é de concretizar, com a maior harmonia possível, os interesses mútuos da modernização do Porto, que é uma exigência do governo federal, da Secretaria Nacional de Portos, Agência Nacional de Transportes Aquaviários e do Ministério da Infraestrutura”, completou Estima. Os portos gaúchos eram os únicos a manter um convênio de delegação como autarquia e a exigência para renovação era a alteração para empresa pública.

“A implantação da empresa pública está prevista para a virada do ano. Nós temos três meses para nos adequarmos e queremos abrir a gestão do ano que vem com a nova empresa, denominada Portos RS, que cuidará de toda a hidrovia, os três portos públicos, além da relação com os demais terminais concedidos e os terminais de uso privado”, concluiu Estima.

Fonte: Portos RS