Mudanças são anunciadas para socorrer Ecovix, gerenciadora do Estaleiro Rio Grande

0
12828

Um comunicado assinado por Cristiano Kok – sócio-diretor da Jackson Empreendimentos, acionista majoritária da Ecovix – confirmou mudanças na gestão da empresa. A partir de agora, a Brasil Plural S/A Banco Múltiplo terá poderes para reestruturar a companhia, em grave crise financeira.

A coordenação das operações fica a cargo de Fábio Vassef, economista e sócio da Brasil Plural. Ele terá o apoio de José Carlos Mendes Lopes na operação do estaleiro; de Massao Myazaki na direção de produção; de Christiano Bastos Morales na área financeira; de João Augusto de Souza Castro na área de recursos humanos; e de Carlos Alberto Moraes e Ciro Julio Schmitt na área de engenharia e suprimentos.

Roberto Luiz Bogado Duarte terá dedicação exclusiva à gestão da RG Estaleiros, responsável pelo ERG1, ERG2 e ERG3, complexos instalados no porto de Rio Grande e com contratos para fabricar cascos de plataformas em série e navios-sonda para a Petrobras. A Engevix, controladora da Ecovix, foi citada durante a Operação Lava Jato. Os diretores José Antunes Sobrinho e Gerson de Mello Almada chegaram a ser presos e firmaram acordo de delação premiada. O mesmo aconteceu com o lobista Milton Pascowitch, acusado de mediar o esquema de pagamento de propina em contratos da Petrobras com o estaleiro gaúcho.

Cristiano Kok - Estadão Conteúdo
Cristiano Kok – Estadão

“Esperamos que com esta nova estrutura de gestão e com o apoio dos nossos clientes, fornecedores e instituições financeiras e de nossos colaboradores, possamos superar a grave crise financeira que é atravessada pela Ecovix”, diz o comunicado assinado por Kok.

Em outubro, o Infomoney destacou que o BicBanco, que há pouco mais de um ano foi vendido para o China Construction Bank, resolveu ir à Justiça cobrar R$ 67 milhões de dívidas não pagas pela Engevix justo no momento em que a empresa tentava renegociar prazos e custo com a instituição e a retirada do processo judicial. A reestruturação da dívida da Engevix está sendo feita pela consultoria Valuation, que até agora, segundo suas informações, já conseguiu assinar acordos com sete instituições e em outras três o comitê de crédito já teria dado o sinal verde para o fechamento do negócio. Nem a Engevix nem a Valuation informaram o valor total da dívida em renegociação. O prazo de 18 meses seria uma chance para que a empresa possa, nesse meio tempo, vender seus ativos, receber os recursos e honrar parte das dívidas. Além da empresa de energia e dos aeroportos, espera-se que a Engevix também se desfaça de parte do estaleiro, caso consiga resolver a atual situação de caixa operacional.

Em Rio Grande, o clima entre os trabalhadores é de extrema preocupação. A Ecovix não tem dinheiro para o pagamento dos funcionários e de empresas terceirizadas. Os valores da quinzena do mês de novembro e o adiantamento do décimo terceiro salário estão atrasados. Dois oito cascos de plataformas encomendados – contrato de US$ 3,46 bilhões -, a empresa entregou apenas duas, sendo que a P-67 – a segunda da lista – foi encaminhada para finalização na China depois de um ano de atraso na obra. A P-68 também será feita em solo asiático. O dique do estaleiro sedia os projetos da P-69 e da P-70.

 

Ecovix, que administra o estaleiro Rio Grande, tenta negociar dívidas com bancos para manter atividades

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA