Apesar de novo revés na Aneel, grupo espanhol não desistiu ainda de construir usina de R$ 6 bi no RS

0
51
IMPRIMIR

Um novo revés deixa ainda mais complicado o caminho para a construção do complexo de energia de R$ 6 bilhões em Rio Grande, no sul do Estado. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deu nova negativa para a transferência do projeto da Bolognesi, que venceu o leilão, para o grupo espanhol Cobra, que pretende construí-lo. Com isso, segue a decisão que retirou a outorga para a usina gerar energia.

Além disso, apesar do voto favorável do relator, a agência reguladora também foi contrária ao encaminhamento do processo ao Ministério de Minas e Energia. Esta era outra estratégia da empresa, o que mudaria o modelo para contrato de reserva e contaria com uma avaliação do Executivo de importância do do empreendimento.Advogado da Termelétrica Rio Grande e sócio da STP Law, Celso Silva informa que o processo teve encerrada a fase de instrução, quando são coletadas e verificadas provas. Agora, aguarda-se a sentença da Vara Federal de Rio Grande.

O complexo prevê uma usina, um píer para navios e um terminal de regaseificação de gás natural. Se efetivamente for construído, tem potencial de ser o maior investimento privado da história do Rio Grande do Sul, ultrapassando o complexo da General Motors (GM), em Gravataí, e a duplicação da fábrica de celulose da CMPC, em Guaíba. Claramente, teria potencial de provocar uma revolução econômica na região de Rio Grande, que sofreu com a decadência do polo naval. Até por isso, o governador Eduardo Leite esteve novamente na Aneel nesta semana em nova tentativa por uma decisão favorável.

Fonte: GZH / GIANE GUERRA