Wilson Sons consolida modal hidroviário como solução logística no Estado

0
90
IMPRIMIR
                 Nesses quatro de anos de operações, o terminal já transportou mais de 126 mil TEUs

O transporte fluvial de contêineres vem atraindo cada vez mais empresas na Região Sul do Brasil. Ao completar quatro anos em outubro, a operação da Wilson Sons no Tecon Santa Clara, na cidade de Triunfo (RS), apresenta crescimento médio de 56% ao ano. A unidade opera integrada ao terminal de contêineres da Companhia no Porto do Rio Grande e oferece solução multimodal aos setores produtivos locais.

Resinas, madeira, produtos químicos, frango congelado, borrachas e utensílios domésticos representam 80% das mercadorias que passam pelo Tecon Santa Clara. Apesar da pandemia que impactou a comercialização de alguns produtos, foram movimentados 20.165 TEU (unidade correspondente a um contêiner de 20 pés) no terminal, de janeiro a setembro deste ano, alta de 11% ante o mesmo período de 2019.

Hoje a operação entre o Tecon Santa Clara e o Tecon Rio Grande é a que mais movimenta cargas em contêineres por via fluvial no Brasil, de acordo com ranking do Anuário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Entre outubro de 2019 e setembro deste ano, 8% dos TEU movimentados no terminal do Porto de Rio Grande são provenientes da navegação interior.

Mais limpo e seguro, o modal hidroviário possibilita também maior eficiência nos custos da operação. “Com o transporte fluvial, conseguimos desenvolver projetos logísticos mais competitivos do ponto de vista financeiro, que oferecem menos risco de acidentes e avarias para as cargas, além de contribuir com a diminuição de emissão de gases do efeito estufa”, avalia Paulo Bertinetti, diretor presidente do Tecon Rio Grande.

Do ponto de vista ambiental, o modal hidroviário se mostrou mais eficiente: emite 74% menos gases do efeito estufa se comparada com o transporte rodoviário, de acordo com estudo realizado pela Wilson Sons a partir da metodologia GHG Protocol. Nesses quatro de anos de operações, o terminal já transportou mais de 126 mil TEU. Entre os serviços disponibilizados aos clientes, está a possibilidade de estufar e desovar produtos no armazém, os quais podem ser distribuídos fracionados ou completos nos seus destinos.

Fonte: Agrolink