Um hospital para os animais marinhos

0
99
IMPRIMIR

O Centro de Recuperação de Animais Marinhos (CRAM), mesmo durante o atual contexto de pandemia mundial, continua a atuar na reabilitação dos animais marinhos ao longo da Costa Sul do Estado. Atualmente no local estão sendo atendidas 22 tartarugas verdes, dois pinguins de Magalhães, um lobo-marinho e um leão-marinho, seguindo os protocolos de procedimentos internacionais de recuperação. O centro é reconhecido mundialmente pela qualidade de sua estrutura e trabalho especializado para o retorno dos animais ao mar.

Segundo Lauro Barcelos, fundador e idealizador do centro, esse trabalho de reabilitação de fauna é feito permanentemente para receber os animais debilitados. O CRAM iniciou em 1974, sendo tutelado pela FURG e anexo ao Museu Oceanográfico, com a colaboração de diversas empresas e órgãos governamentais, entre elas a Portos RS.
O Porto do Rio Grande tem essa parceria firmada com o CRAM buscando o retorno ambiental da fauna marinha presente no perímetro de atuação do centro entre a barra da Lagoa do Peixe e a barra do Chuí.

A Portos RS acredita e confia no trabalho realizado pela equipe do local, que é uma referência mundial na área de recuperação de animais, como afirma o Diretor de Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Henrique Ilha. “O CRAM já é reconhecido no mundo. Então aqui para fauna da região é uma benção. São atendidos um grande número de animais encontrados na praia, esse pessoal é altamente especializado com uma estrutura de bom porte para atender essa região”

O trabalho de reabilitação é realizado com uma equipe composta por dois biólogos, dois oceanógrafos, dois veterinários e um grupo de colaboradores voluntários, e como Henrique contou “A Portos RS está fazendo a diferença ajudando, além de receber esse serviço qualificado, que fica de prontidão o tempo inteiro e ajuda a manter a estrutura de qualidade. Com isso acaba beneficiando a Região Sul do País. É muito orgulho estar associado ao CRAM”.

Fonte: Assessoria