TST nega recurso que pede paridade na escala dos trabalhadores no Porto de Santos

0
22
IMPRIMIR

O ministro Emmanoel Pereira, vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), em despacho publicado nesta quinta-feira (9), recusou o recurso solicitado pelo Sindicato dos Estivadores de Santos (Sindestiva), no litoral de São Paulo. O documento pedia a suspensão da decisão que concede às empresas de operações com contêineres no Porto de Santos o direito de trabalhar com 75% dos funcionários vinculados e 25% de estivadores avulsos.

Segundo a Câmara de Contêineres do Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (SOPESP), formada pela BTP, Ecoporto, Libra e Santos Brasil, o ministro negou o recurso extraordinário pois o Sindestiva perdeu o prazo para fazer a solicitação. A decisão final do TST em 2015 regrou o atual percentual de 75% das operações com vinculados.

Em nota, a Câmara ainda afirmou que as empresas de contêineres sempre cumpriram todas as decisões judiciais e sempre atuaram para que todos os trabalhadores e a sociedade em geral tivessem conhecimento das verdades dos fatos.

O G1 entrou em contato com o Sindicato dos Estivadores de Santos (Sindestiva) mas, até a publicação da reportagem, a entidade não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: G1