Santos comemora 128 anos planejando o futuro

0
127
IMPRIMIR
 O Nasmyth, em foto da época Imagem: Rota de Ouro e Prata, José Carlos Rossini

por Diniz Junior

As obras de construção do cais do Porto de Santos foram iniciadas em julho de 1888 e, em fevereiro de 1892, o navio Nasmith inaugurava o primeiro trecho com 260 metros de extensão, registrando o momento histórico em que o modesto atracadouro se tornava o primeiro porto organizado do Brasil. A história do Porto de Santos, no entanto, começou bem antes. No período colonial, foi de Braz Cubas a ideia de transferir o porto para as águas abrigadas do estuário de Santos, facilitando a defesa contra o ataque de piratas.

O desenvolvimento da produção de café no Brasil demandou a ampliação da infraestrutura para a exportação. Em 1867, chega a estrada de ferro ligando a capital ao porto, tornando imprescindível o estabelecimento de um porto moderno e produtivo.Em 1888, os empresários Cândido Gaffrée e Eduardo Guinle receberam o direito à construção e exploração do porto.

Listado entre os maiores em movimentação de cargas na América Latina, o Porto de Santos inaugurado em 1892, também iniciou uma nova fase para a vida da cidade de Santos e do Estado de São Paulo, sendo fundamental para a exportação brasileira de café e outras culturas. Inaugurado com apenas 260 metros de cais, o porto que recebeu navios que trouxeram imigrantes de diversos países a São Paulo, completa neste domingo (02) 128 anos.

PRATICAGEM GARANTE A SEGURANÇA  DOS NAVIOS

São 7 milhões e 800 mil metros quadrados de área portuária. O porto representa 14% do PIB brasileiro e gera cerca de 33 mil empregos. Administrado pela Santos Port Authority (SPA)   esta localizado a 70 quilômetros do maior centro econômico do país, São Paulo. No ano de 2019 cerca de 4 mil navios  atracaram no porto. Embarcações de todos os continentes que necessitam de segurança em zonas de alto risco de acidentes.

Segurança que é garantida pela Praticagem do Estado de São Paulo. “O comandante é um profissional treinado para levar os navios de um ponto a outro o mais longe o possível de obstáculos e o prático é um profissional treinado para  conduzir os navios  com segurança próximo ao perigo de obstáculos”, afirmou o presidente da Praticagem do Estado de São Paulo  Souza Filho.

Para isso a Praticagem investiu em 2015 R$ 8 milhões em tecnologia, treinamento e segurança na implantação do Centro de Comunicações e Operações de Tráfego. Ele mede a velocidade e a direção das correntes marítimas no canal do estuário, a altura das ondas e a intensidade dos ventos. Além disso, é realizada, ainda, a verificação da visibilidade na região para navegação. “Muitos pensam que o prático é um profissional que embarca na lancha com um rádio na mão  e esquece que na retaguarda existe todo um aparato tecnológico de sensores oceanográficos que estão espalhados pelo canal, marégrafos, anemômetros e operadores qualificados, bilíngües que fazem a coordenação do tráfego dos navios” lembrou o presidente da Praticagem.

CAPACITAÇÃO

A tecnologia vem ajudando Santos a bater sucessivos recordes. Em 2019  movimentou mais de 133 milhões de toneladas de cargas e quatro milhões de contêineres, consolidando sua posição de maior porto do hemisfério sul. Na opinião do presidente da Federação Nacional dos Operadores Portuários, Sérgio Aquino, os investimentos em modernização foram fundamentais para a migração da mão  de obra. “O trabalho braçal é coisa do passado. Aquela condição física que era necessária para o trabalho portuário foi substituída pela necessidade da capacitação da qualificação”, destacou Aquino.

Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas o governo federal projeta investimentos para que o porto bata novos recordes. “É um porto que vem operando desde o ciclo do café e que agora esta se modernizando e investindo em tecnologias de informações, atingindo padrões equivalentes aos maiores portos do mundo” frisou Freitas.

Marcos na história do Porto de Santos

1892 – A atracação do vapor inglês Nasmith inaugura o primeiro trecho de 260 metros de cais construído, marcando a entrada em operação do Porto Organizado de Santos, então administrado pela Companhia Docas de Santos.

1900 – Santos foi o maior porto exportador de café do mundo, ainda hoje ostentando essa liderança.

1910 – Inauguração da usina Hidrelétrica de Itatinga, em atividade até hoje, gerando cerca de 70% da energia consumida nas instalações do Porto de Santos.

1958 – Conclusão de mais 1.261 metros de cais, no Macuco, já perfazendo o total de 7.667 metros de cais construído.

1980 – Termina a concessão da Companhia Docas de Santos. O porto passa ao governo federal com a Companhia Docas do Estado de São Paulo – Codesp.

1981 – Inauguração oficial do TECON, colocando Santos na liderança isolada em movimentação de contêineres no país, posição que ocupa até os dias atuais.

1993 – Com uma extensão de 13 quilômetros de cais e consolidado como principal porto do hemisfério sul, passa por amplo processo de modernização com a entrada da inciativa privada na operação portuária.

2019 – No ano em que completou 127 anos, o Porto de Santos, movimentando mais de 133 milhões de toneladas de carga, em 16 quilômetros de cais, é líder mundial nas exportações de açúcar, sucos, café e carne bovina, respondendo por mais de um quarto balança comercial brasileira.