Santos Brasil adquire novos equipamentos para o Tecon Vila do Conde

0
177
IMPRIMIR
As aquisições fazem parte do projeto de ampliação e modernização do Tecon Vila do Conde, que prevê investimentos de R$ 37,2 milhões nos próximos dois anos

A Santos Brasil já iniciou aquisições de novos equipamentos para a modernização de seu terminal de contêineres de Vila do Conde, localizado na cidade de Barcarena (a 96 km de Belém), no Pará. A previsão é de que os equipamentos cheguem entre o primeiro e segundo trimestre deste ano, aumentando a eficiência operacional do terminal.

Entre os equipamentos já comprados estão um guindaste MHC (Mobile Harbour Crane); uma empilhadeira tipo Reach Stacker para contêineres vazios; duas empilhadeiras tipo Reach Stacker para contêineres cheios e dez caminhões para operações de costado.

As aquisições fazem parte do projeto de ampliação e modernização do Tecon Vila do Conde, que prevê investimentos de R$ 37,2 milhões nos próximos dois anos, totalizando R$ 129,04 milhões até 2033*.

Os novos investimentos são fundamentais para que o terminal possa atender à crescente demanda por movimentação e armazenagem de cargas conteinerizadas no porto e garantir a continuidade da qualidade na prestação do serviço. O projeto vai elevar a capacidade de movimentação do terminal para 163 mil TEU/ano.

Desde a aprovação da prorrogação antecipada do prazo do contrato de arrendamento do Tecon Vila do Conde por mais 15 anos, ocorrida em 16 de novembro de 2017, a empresa empenhou-se em obter as aprovações necessárias com as autoridades competentes para início imediato dos investimentos, o que ocorreu formalmente no dia 21 de dezembro.

Estrategicamente localizado no delta do rio Amazonas, em uma região de grande capilaridade hidroviária e proximidade das principais rotas marítimas internacionais com acesso a todos os continentes de maneira direta ou por meio de portos de transbordo do Caribe, o Tecon Vila do Conde tem apresentado forte crescimento.

A Santos Brasil já investiu em Vila do Conde mais de R$ 133,8 milhões na ampliação e melhoria das instalações, otimizações operacionais, tecnologia, capacitação de mão de obra e equipamentos desde 2008, quando comprou a empresa arrendatária do terminal.