Rodovia de Mato Grosso do Sul ao Chile vai cortar em 12 dias o trajeto das exportações ao mercado asiático

0
73
IMPRIMIR

Única obra de infraestrutura envolvendo mais de dois países da região, o Corredor Rodoviário Bioceânico vai cortar em 12 dias o trajeto das exportações para a Ásia. Só em celulose e carnes, a economia com frete é estimada em US$ 75 milhões ao ano. Além disso, o comércio intrarregional deverá aumentar.

O corredor conectará Mato Grosso do Sul aos portos do Chile, passando por Paraguai e Argentina, praticamente em linha reta. Falta pavimentar um trecho no Paraguai e construir ponte ligando Porto Murtinho (MS) a Carmelo Peralta, no Paraguaio além de concluir um contorno rodoviário no lado brasileiro. A previsão é que tudo esteja concluído em 2023.

Os dados estão no livro “Corredor Bioceânico de Mato Grosso do Sul ao Pacífico: Produção e Comércio na Rota de Integração Sul-Americana”, que o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) pretende lançar amanhã. Coordenada pelo pesquisador Pedro Silva Barros, a publicação é subsídio para discussões nos grupos de trabalho a respeito do projeto

“A produção do Brasil caminha para o oeste”, disse Barros ao Valor. Estados como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia têm apresentado aumento na produção e nas vendas ao exterior acima da média nacional. Segundo o pesquisador, a exportação per capita anual de um mato-grossense chega a US$ 5 mil ante US$ 2 mil de um chinês. As exportações per capita de um rondoniense saíram de US$ 40 para US$ 700 nos últimos 20 anos.

O corredor também pode ser uma via mais barata para a importação de fertilizantes pelo Brasil. Hoje, Mato Grosso do Sul compra esse produto principalmente no Canadá. Esse sai de Vancouver, no oeste do país, para atravessar o canal do Panamá e chegar ao Brasil via porto de Santos (SP) e depois seguir em caminhões para o Centro-Oeste. Se ingressasse via Chile ou via Peru, o trajeto seria bem mais lógico, aponta Barros. Poderia ser absorvida também a produção dos países vizinhos.

 

https://valor.globo.com/brasil/noticia/2021/05/03/corredor-promete-acelerar-venda-a-asia.ghtml