Receita Federal realiza fiscalização noite e dia no Porto

0
372
IMPRIMIR
As duas lanchas são utilizadas pelo Grupo de Operações Especiais Marítimas (Gropem) do Fisco / A Tribuna

 

por José Cláudio Pimentel / A Tribuna de Santos

O Porto de Santos, a costa e os rios da Baixada Santista possuem a segurança de dois imponentes leões-marinhos. De olhar aguçado, são capazes de enxergar plenamente a quilômetros de distância. Durante a noite, sem qualquer tipo de iluminação, estão mais do que atentos: conseguem notar tudo e todos, com precisão e perfeição.

Esses guardiões do cais santista são as duas lanchas de patrulha e fiscalização da Alfândega de Santos. Batizadas como Leão Marinho I e Leão Marinho II, elas são consideradas as embarcações em operação na região com o mais avançado nível de tecnologia. Mesmo com caráter aduaneiro, auxiliam no cumprimento das leis em áreas abertas (alto-mar) e abrigadas (canais, rios, baías e estuário).

Ambas possuem um sistema de câmeras térmicas que foi modernizado no último mês. Esse investimento ampliou sua capacidade de monitoramento, registrando imagens em alta definição, mesmo à noite. Com isso, tornaram-se os equipamentos principais no combate à pirataria, ao contrabando, a roubos e ao tráfico de drogas sobre a água na Baixada Santista.

As duas lanchas são utilizadas pelo Grupo de Operações Especiais Marítimas (Gropem) do Fisco. De acordo com o inspetor-chefe da Alfândega de Santos, Cleiton Alves dos Santos João Simões, elas são das mais modernas em operação no Brasil devido à importância e ao tamanho do complexo portuário santista. Mas as operações de fiscalização vão além da região do cais.