Portuários de Santos não entram em acordo sobre greve por vacina contra Covid-19

0
73
IMPRIMIR
A ideia é pressionar o Governo Federal a divulgar um calendário de vacinação da categoria. Para isto, as entidades devem realizar uma assembleia local, em uma data que ainda será definida.

Após quase 7 horas de debates, o movimento nacional dos portuários não chegou a um consenso sobre uma greve da categoria pela vacina contra a covid-19. Agora, uma nova rodada de discussões foi marcada para o próximo dia 1º. Enquanto isso, sindicatos que representam trabalhadores do Porto de Santos pretendem estudar paralisação de 24 horas.

A ideia é pressionar o Governo Federal a divulgar um calendário de vacinação da categoria. Para isto, as entidades devem realizar uma assembleia local, em uma data que ainda será definida.

Em Santos, o movimento é coordenado pela Unidade Portuária, entidade que reúne os sindicatos representantes de trabalhadores do cais santista. Além dos estivadores, participaram as demais categorias de avulsos, que incluem operários, vigias, consertadores, além dos funcionários da administração portuária.

Ontem, uma reunião virtual proposta pela Federação Nacional dos Portuários (FNP), Federação Nacional dos Estivadores (FNE) e pela Federação Nacional dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vigias Portuários, Trabalhadores de Bloco, Arrumadores e Amarradores de Navios, nas Atividades Portuárias (Fenccovib), debateu o tema.

https://www.atribuna.com.br/noticias/portomar/portuarios-de-santos-nao-entram-em-acordo-sobre-greve-por-vacina-contra-covid-19