Porto Itapoá completa 10 anos como um dos maiores e mais importantes terminais portuários do Brasil

0
187
IMPRIMIR
O Terminal possui capacidade para movimentar anualmente até 1,2 milhão de TEUs (unidade de medida de contêineres) com previsão para expandir sua capacidade de movimentação superando a marca de 2 milhões de TEUs por ano.

A partir de um sonho visionário da família Battistella há 27 anos, uma década e meia depois o projeto do Porto Itapoá foi concretizado, contribuindo para elevar a Baía da Babitonga, litoral Norte de Santa Catarina, ao mesmo patamar dos grandes complexos portuários do país. Ao completar 10 anos de operação, no dia 16 de junho de 2021, o Porto Itapoá já se tornou um dos maiores e mais importantes terminais portuários do Brasil e é considerado um dos terminais mais ágeis e eficientes da América Latina.

“O Porto Itapoá evoluiu a partir da persistência, do trabalho e da determinação de seus idealizadores e carrega essas qualidades até hoje no dia a dia de suas operações. Adicionamos a este projeto princípios como a inovação, a sustentabilidade e a eficiência, que culminaram em uma empresa sólida, consolidada e que cresce a cada ano, contribuindo para o desenvolvimento local, regional e nacional”, diz o seu presidente, Cássio José Schreiner.

Porto Itapoá está posicionado entre as regiões mais produtivas do Brasil, contemplando importadores e exportadores de diversos segmentos empresariais. Sua localização privilegiada na Baía da Babitonga, proporciona condições seguras e facilitadas para receber grandes navios que operam em nosso país, uma tendência cada vez mais adotada na navegação mundial. O Terminal possui capacidade para movimentar anualmente até 1,2 milhão de TEUs (unidade de medida de contêineres) com previsão para expandir sua capacidade de movimentação superando a marca de 2 milhões de TEUs por ano.

Desenvolvimento econômico e geração de emprego

O Complexo Portuário da Babitonga que, a partir da instalação do Porto Itapoá passou a responder por quase 60% da movimentação do setor de Santa Catarina (ANTAQ 2019), é um dos mais importantes ativos portuários do País e estratégico para a infraestrutura de transporte e logística do Estado. Os municípios localizados a, no máximo, 100 km de distância da Baía da Babitonga concentram metade do PIB (Produto Interno Bruto) industrial dos estados de Santa Catarina e Paraná.

Em 10 anos, a área de influência direta do Complexo da Babitonga tem potencial de saltar de 16 para 48 empresas portuárias e retroportuárias com investimentos privados diretos que podem chegar na casa dos R$ 15 bilhões, passar de uma geração de renda anual de R$ 300 milhões para R$ 1,8 bilhão e saltar dos atuais 8.500 empregos para 45 mil oportunidades de novas vagas. Associado ao potencial e dinamismo econômico de Santa Catarina e toda a região Sul do Brasil, o Complexo Portuário da Babitonga é um modelo em investimentos em infraestrutura e logística.

Especificamente em relação ao desenvolvimento de Itapoá, o município teve ganhos exponenciais a partir da operação do Terminal. O Porto Itapoá gera 950 empregos diretos e mais de 5 mil indiretos. Mais de 50% da mão de obra economicamente ativa do município está ligada à atividade portuária e somente os colaboradores do Porto Itapoá movimentam R$ 30 milhões/ano na economia local. A arrecadação do município saltou de R$ 35 milhões em 2010 para R$ 108 milhões, um crescimento de 200%. O ISS passou de R$ 210 mil em 2010 para atuais R$ 12 milhões, um aumento de nada menos do que 5.600%.

A partir da sua construção, o Porto Itapoá viabilizou junto ao Governo do Estado o acesso rodoviário dedicado, com a pavimentação da SC 416, ligando o município à BR 101. O Terminal também é responsável por investimentos diretos de R$ 140 milhões entre projetos socioambientais e em obras de infraestrutura em Itapoá. Destaque para os R$ 33 milhões investidos na pavimentação de acessos e vias urbanas e R$ 27 milhões para viabilizar a linha de transmissão de alta capacidade operada pela Celesc que, a partir de 2011, substituiu o abastecimento secundário ao município, realizado pela Copel. Outros R$ 22 milhões foram destinados para projetos sociais e ambientais.

E para contribuir com a infraestrutura de saúde no enfrentamento à pandemia, o Porto Itapoá investiu cerca de R$ 1,5 milhão na compra de respiradores para o Pronto Atendimento do município e na ampliação de leitos do Hospital São José, de Joinville, referência no tratamento à Covid-19 na região. “De nossa parte, nos orgulhamos de estar engajados, liderando muitos dos projetos para o desenvolvimento sustentável do município de Itapoá e da região Norte de Santa Catarina, do Estado como um todo e do Brasil”, diz o presidente Cássio José Schreiner.

Reconhecimentos

Além do desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda, o Porto Itapoá se destaca em diversas frentes. O Terminal tem conquistado ao longo dos anos importantes reconhecimentos em sustentabilidade, inovação, capital humano e no relacionamento com os clientes.

A atuação sustentável faz parte da estratégia do Terminal desde o início das operações. O Porto Itapoá criou e mantém a Reserva de Preservação Permanente da Natureza (RPPN) Padre Piet Van der Aart, que compensou em dez vezes a área para a ampliação do terminal. Associada à RPPN Volta Velha, é uma das maiores reservas de Mata Atlântica particulares do Estado e um importante ativo ambiental de Itapoá. No local são realizadas atividades de educação ambiental e plantio de árvores nativas distribuídas à comunidade. O Porto Itapoá também monitora a qualidade da água da Baía da Babitonga e realiza o reuso e reciclagem de resíduos gerados em suas operações, entre outras ações. Essas iniciativas levaram o Terminal a conquistar o Prêmio

Via Viva do Ministério da Infraestrutura como destaque entre os terminais portuários do país em desenvolvimento socioambiental.

Reconhecido como uma das empresas mais inovadoras do sul do país, de acordo com ranking da Revista Amanhã, o Porto Itapoá agrega diferenciais de eficiência, modernidade e tecnologia em suas operações e serviços. Prova disso foi a recente criação de um dispositivo de IOT (Internet das Coisas) com tecnologia própria, 100% desenvolvida pelo time interno e patenteada. Chamados de coletores, esses dispositivos fazem a integração dos veículos que movimentam os contêineres entre o pátio e o cais com o software que gerencia a programação de carga e descarga dos navios. A solução desenvolvida pelo Porto Itapoá substitui os equipamentos importados com grandes vantagens em custos, manutenção e usabilidade.

Faz parte do negócio e dos diferenciais do Porto Itapoá estar atento às necessidades dos clientes, valorizando os relacionamentos, conquistando altos índices de satisfação e fidelização. O Terminal obteve a melhor avaliação entre os portos do país no ranking do Instituto Brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC), em parceria com a Revista Exame. Esse reconhecimento coloca o Porto Itapoá como referência em modelos de atendimento ao cliente entre grandes marcas nacionais e internacionais com atuação no Brasil.

Tão importante quanto, está no DNA do Porto Itapoá desde o seu início cuidar das pessoas com foco em uma cultura cada vez mais inclusiva, que permita igualdade de oportunidades, em um ambiente de diversidade. Seguindo esses preceitos, durante a pandemia, o Porto Itapoá tomou todas as medidas de prevenção para que seus profissionais pudessem exercer suas funções de forma segura. Esse cuidado com as pessoas é levado também para fora do terminal com ações que geram qualidade de vida, emprego e renda para as comunidades do entorno, ações que foram reconhecidas com o Prêmio Valor, do Valor Econômico, em Liderança no Engajamento de Pessoas.

“Começar um empreendimento do zero é desafiador, mas alcançar, em pouco tempo, todos estes resultados, é gratificante. E quando o valor gerado envolve não apenas quem está diretamente ligado ao negócio, mas todo o conjunto de pessoas e empresas que se beneficiaram a partir da operação do Porto Itapoá, a conquista se torna ainda maior”, comemora Cássio.