Obras do EBR devem iniciar em final de outubro

0
508
IMPRIMIR

Aloísio Nóbrega, vice-presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI)

 

As obras do estaleiro da EBR em São José do Norte devem iniciar em 40 dias. O anúncio foi feito na quarta-feira em Rio Grande pelo vice-presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Aloísio Nóbrega, ao palestrar no evento “Badesul Promove o Rio Grande do Sul”, realizado no Yatch Club. O evento promovido pela RBS irá percorrer o estado propondo soluções para o desenvolvimento e fortalecimento do mercado gaúcho.

 

A EBR, que é controlada pela Setal Óleo e Gás (SOG), vai construir um estaleiro que vai fabricar módulos dos navios-plataforma FPSO (unidades flutuantes que produzem e armazenam petróleo). Posteriormente, a ideia é ter condições de fazer serviços de integração, recebendo os cascos já prontos e, mais adiante, a expectativa é de que o estaleiro possa fabricar plataformas, tanto semissubmersíveis quanto FPSO.

 

O investimento no estaleiro em São José do Norte é estimado, atualmente, em cerca de US$ 420 milhões e deverá gerar de mil a 4 mil empregos diretos, ocupando uma área total de 1,5 milhão de metros quadrados. O cais terá 700 metros quadrados de extensão e a intenção é que o estaleiro seja o primeiro do mundo com selo verde. O financiamento do projeto deverá vir através de recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM).

Aloísio Nóbrega destacou que o Rio Grande do Sul é o segundo polo da indústria oceânica do Brasil, atrás somente do Rio de Janeiro. “Entretanto, nenhum outro Estado brasileiro tem uma indústria tão diversificada quanto à gaúcha, desde materiais leves a pesados, do parafuso ao casco, o que é fundamental para a sustentação e fortalecimento de toda a cadeia do setor”, afirmou.

 

Polo Naval do Jacuí

Aloísio Nóbrega abordou a nova unidade industrial da IESA que será construída no município de Charqueadas, às margens do Rio Jacuí. O projeto da empresa proporcionará a criação de mais de 1,2 mil empregos diretos, podendo chegar a mais de 6 mil, contando com os indiretos.

O contrato da empresa para fornecimento à Petrobras soma mais de US$ 720 milhões e prevê a construção de 24 módulos para seis plataformas de exploração de petróleo no Pré-Sal da Bacia de Santos, nos campos de Lula e Sapinhoá. “O Polo Naval do Jacuí irá se especializar na produção desses módulos. Com isso, estamos espalhando a indústria naval gaúcha pelas hidrovias do estado, realizando, dessa forma, a sua descentralização”, explica o vice-presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Aloísio Nóbrega.