O exemplo da Holanda contra as cheias

0
545
IMPRIMIR
Foram investidos 10 anos de estudos para a concepção do Maeslant Kering e outros seis anos para sua construção, num investimento de 505 milhões de euros
Em tempos de grandes cnhcentes no Rio Grande do Sul um projeto interessante contra as cheias vem da Holanda. Conheci  em 2009 o Maeslant Kering, em Hook van Holland, próxima a Roterdã. Um dique móvel que os holandeses consideram sua maior obra de engenharia contemporânea. É único no mundo.São duas estruturas imensas, dois braços de 350 metros de comprimento ao todo, dispostos frontalmente, nas margens do rio Reno. A função é criar uma barreira artificial para conter o avanço das águas do mar do Norte, caso subam a mais de três metros de sua normalidade.

Isto seria suficiente para inundar mais da metade do território do país, já que 33% estão a menos de um metro do nível do mar. Há regiões, inclusive, abaixo dele. É necessário monitorar de perto o mar do Norte.

Foram investidos 10 anos de estudos para a concepção do Maeslant Kering e outros seis anos para sua construção, num investimento de 505 milhões de euros. Desde sua conclusão, em 1996, nunca houve necessidade de usá-lo, embora simulações sejam feitas uma vez por ano. Os holandeses não se cansam de lembrar da devastadora inundação de 1953, quando um terço do país foi destruído.