Navio Polar “Almirante Maximiano” parte rumo à Antártica

0
38
IMPRIMIR
Embarcação Almirante Maximiano abriga laboratórios para cientistas.’Tio Max’ é alternativa à estação científica destruída por incêndio em 2012.

A Marinha do Brasil, em continuidade às ações que visam a dar suporte ao Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), enviará ao continente antártico o Navio Polar (NPo) “Almirante Maximiano”. O Navio desatracou do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro no último dia 10 de novembro e atracará no porto de Rio Grande às 23h do dia 13 de novembro. Será a segunda comissão a integrar a trigésima sexta Operação Antártica (OPERANTAR XXXVI), iniciada no dia 13 de outubro deste ano, com a desatracação do Navio de Apoio Oceanográfico (NApOc) “Ary Rongel”.

O NPo “Almirante Maximiano”, sob o comando do Capitão de Mar e Guerra Pedro Augusto Bittencourt Heine Filho, terá como principais tarefas executar os trabalhos de campo a serem desenvolvidos nos refúgios e acampamentos previstos, servir como plataforma para a realização de pesquisas, efetuando lançamentos e recolhimentos de pesquisadores, além de contribuir para o apoio logístico aos Módulos Antárticos Emergenciais (MAE) e a reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). Para prestar tais suportes, o Navio utilizará seus equipamentos, embarcações e aeronaves orgânicas, realizando sondagens e levantamentos oceanográficos, observações de animais e coleta de amostras de solo e água.

As atividades científicas envolverão especialistas de diversas instituições de ensino e pesquisa do País, que desenvolverão projetos em áreas como oceanografia, biologia, geologia e meteorologia, utilizando como base o Navio e os acampamentos estabelecidos na região. Todo esse trabalho é executado em consonância com o caráter pacífico e ambientalmente responsável que sempre marcaram a presença do Brasil na Antártica.

A OPERANTAR é uma das mais complexas e extensas operações realizadas, regularmente, pela Marinha do Brasil, que envolve um planejamento minucioso e o emprego criterioso dos meios, contribuindo para marcar, de modo inequívoco, a presença brasileira no continente antártico. A relevância desta Operação é ainda mais significativa em virtude do papel da Antártica nos sistemas naturais globais, agindo como o principal regulador térmico do Planeta, controlando as circulações atmosféricas e oceânicas e influenciando o clima e as condições de vida na Terra.

No porto de Rio Grande, o Navio concluirá o embarque do material destinado ao reabastecimento dos MAE e serão fornecidas as vestimentas antárticas para os tripulantes e pesquisadores embarcados. Também estão programadas visitas aos portos de Punta Arenas, no Chile, de Ushuaia, na Argentina, e de Montevidéu, no Uruguai. O regresso ao Rio de Janeiro está previsto para abril de 2018.

LEIA O ARTIGO Continente antártico, por que tanto interesse?