Navio da Hapag Lloyd abalroa 3 balsas no canal do Porto de Santos – assista ao vídeo

0
107
IMPRIMIR

Um navio porta-contêineres de 333 metros de comprimento colidiu lateralmente com três balsas que transportam veículos entre as cidades de Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo, na noite de domingo (6). O cargueiro realizava manobra de entrada no cais no momento do acidente. Segundo a Marinha, ninguém se feriu.

O monitoramento via satélite do navio Santos Express indicou que ele acessou o Canal do Estuário, utilizado para a navegação aos terminais do Porto de Santos, às 20h22. Exatos sete minutos depois, a embarcação, que tem 48 metros de largura (boca), aproxima-se bruscamente da Margem Esquerda do cais, em Guarujá.

Durante um minuto, a lateral direita do cargueiro se arrasta pelas balsas FB-18, FB-19 e FB-28, utilizadas pela estatal Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) no serviço de travessias marítimas no litoral paulista. As duas primeiras embarcações estavam fora de serviço e, a terceira, havia desembarcado veículos momentos antes.

 

Vídeos registrados por motoristas que aguardavam para embarcar nas balsas e funcionários do serviço mostram os momentos de tensão e o barulho ocasionado com as colisões sucessivas. Somente marinheiros estavam abordo e se afastaram rapidamente do local ao notar a aproximação do navio. Os funcionários não ficaram feridos.

Além disso, em razão do tamanho do navio, ao menos um barco rebocador auxiliava na manobra de acesso ao complexo. Após o ocorrido, o navio alinhou-se novamente no Canal de Navegação e atracou em segurança no cais da DP World Santos, também na Margem Esquerda, às 21h13, para onde deslocaram-se peritos da Marinha.

 

                                                   Foram três balsas atingidas – Foto: G1

Por meio de nota, a Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP), informou que as equipes da autoridade marítima foram informadas do acidente e mobilizadas para apurar o que havia acontecido. Um inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN) foi aberto para verificar causas e responsabilidades.

A estatal que opera as balsas declarou que as três embarcações atingidas foram retiradas de serviço para serem vistoriadas, periciadas e, em seguida, reparadas. “Não houve vítimas e a Dersa vai avaliar os danos materiais causados pelo navio”. A empresa informou que a travessia opera com frota reduzida nesta segunda-feira (7).

A Hapag-Lloyd, armadora proprietária do navio, que tem bandeira alemã e foi batizado em novembro de 2017, foi procurada pelo G1, mas não comentou sobre o acidente até a última atualização desta reportagem. O Santos Express tem previsão de desembarcar 1.803 contêineres no terminal, conforme a autoridade portuária.