Multinacional chinesa pretende instalar complexo eólico no Ceará

0
66
IMPRIMIR
O Governo do Ceará assinou memorando de entendimento com a empresa chinesa Mingyang Smart Energy formalizando a intenção de que seja instalada no estado um complexo eólico offshore, sistema que aproveita a força do vento que sopra em alto-mar. O governador Camilo Santana recebeu no Palácio da Abolição, sede do Executivo estadual, o vice-presidente da multinacional, Larry Wang.

O Ceará é um estado pioneiro no Brasil no processo de energias renováveis, tanto eólica quanto solar. Queremos retomar a nossa vanguarda”, afirmou Camilo Santana. “Estou a frente do Governo há cinco anos e 9 meses e temos procurado estimular e intensificar essa política de investimento em energias renováveis em toda a sua cadeia, porque acreditamos que ela é importante para o Ceará e para o mundo”, complementou.

Durante a reunião de assinatura do memorando, governador ressaltou que o Ceará tem se destacado ao longo dos anos na eficiência do ponto de vista da sua gestão financeira.

Nos últimos cinco anos consecutivos foi o Estado que mais fez investimento público no Brasil, proporcional à sua receita corrente líquida. Temos a única Zona de Processamento de Exportação em funcionamento no Brasil e empreendimentos importantes instalados que fornecem para empresas de outros estados do Brasil”, apontou Camilo Santana. “Nós temos procurado dar velocidade nas ações de investidores no Ceará, o que chamamos de Ceará Veloz, uma plataforma que temos construído ao longo dos anos”.

Fundada em 1993, com sede em Zhongshan Guangdong, China, a Mingyang Smart Energy é fabricante de turbinas eólicas de primeira classe e fornecedora de soluções integradas de energia limpa. A empresa conta com 9 mil colaboradores e 16 fábricas situadas na China e Índia. Atua nos setores de energia eólica e solar, ocupando a 37ª posição entre as 500 maiores empresas de novas energias do mundo e a 1ª em inovação eólica offshore.

Viabilização

A intenção da empresa em se instalar no Ceará leva em consideração fatores como localização geográfica que assegura potencial para a geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, com destaque para a tecnologia eólica offshore. “(A tecnologia) Offshore não é simplesmente a geração de energia renovável. É o grande propulsor de desenvolvimento econômico para cada país e região onde esse sistema se instala”, declarou Larry Wang, vice-presidente da multinacional Mingyang.

Também participaram da assinatura do memorando o secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet), Maia Júnior; o assessor especial de Relações Internacionais, César Ribeiro; o secretário-executivo de Energia e Telecomunicações da Seinfra, Adão Linhares; e a secretária-executiva da Indústria (Sedet), Roseane Oliveira de Medeiros; além de empresários do setor.