Marinha argentina omitiu 8 chamadas do submarino ARA San Juan

0
18
IMPRIMIR
O chefe da Marinha, Marcelo Srur, durante uma conferência de imprensa com o presidente Maurício Macri e o ministro da Defesa Oscar Aguad

O ministro da Defesa, Oscar Aguad, acredita que a Armada Argentina se escondeu desde o início da tragédia do submarino ARA San Juan que essa furtiva nave de guerra alertada por 8 chamadas por telefone via satélite que sofreram graves problemas no meio do oceano. Cumprido uma missão que teve como destino Mar del Plata e começou no porto de Ushuaia.

E foi perdido em um ponto ainda indeterminado no Atlântico Sul. Submarino ARA San Juan: o governo aponta para a Marinha para esconder 8 chamadas do navio faltante A suspeita é que a Marinha não entregou no horário informações primárias e cruciais que poderiam ter gerado um sistema de busca desde o início do acidente. Isso foi confirmado por Clarin por fontes do governo civil que iniciaram uma investigação interna sobre as ações da Marinha, que é considerada a maior tragédia naval na história da Nação em tempos de paz.

Uma das 3 empresas que se encarregaram de manter o sistema de comunicações do submarino Tecsa confirmou que o capitão da fragata e comandante da ARA San Juan, Martín Fernández, chamou a base naval de Mar del Plata pelo menos 8 vezes. As falhas que, seriam conhecidas mais tarde, eram fatais. Essa sede da Marinha retransmitiu a “notícia” perturbadora para a base de Puerto Belgrano, no distrito de Coronel Rosales, onde o Comando de treinamento e alistamento está localizado.