Dragagem terá Ordem de Início assinada no dia 25

0
125
IMPRIMIR
O consórcio vencedor da disputa para realizar o empreendimento é formado pelas empresas Jan de Nul do Brasil e Dragabrás, que fecharam o acordo por R$ 368,6 milhões (dinheiro que virá do governo federal).

A Superintendência do Porto do Rio Grande recebeu na manhã desta quarta-feira, 10, a informação de que a dragagem do canal de acesso ao Porto do Rio Grande terá sua ordem de início assinada no dia 25 de outubro. A informação foi repassada pelo ministro dos Transportes Valter Casimiro ao deputado federal Alceu Moreira. A dragagem é uma das principais reivindicações da SUPRG e do Governo do Estado em Brasília.

O contrato para a obra foi assinado em 2015 pela extinta Secretaria Especial de Portos da Presidência da República. Após uma série de divergências entre o contrato assinado e o entendimento do Ibama, que é o órgão licenciador, a Superintendência do Porto passou a trabalhar para alcançar um plano de dragagem ambientalmente seguro, entendido e aprovado pelo Instituto. “Desde 2015 trabalhamos incansavelmente para obter a licença do Ibama para a realização da obra. Colocamos o corpo técnico da Suprg e um grupo de trabalho com os mais graduados professores e pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande para planejar e nos auxiliar nesse processo que é tão importante para o desenvolvimento do Estado“, afirma o diretor superintendente Janir Branco.

Ao longo dos últimos anos, a dragagem foi tema de diversas reuniões do deputado federal Alceu Moreira, do deputado estadual Fábio Branco, que levou o assunto para chefia da Casa Civil do governo gaúcho e também do secretário de Estado dos Transportes Humberto Canuso. O projeto que será executado compreende uma obra de manutenção do canal de acesso ao porto. Devem ser retirados cerca de 16 milhões de metros cúbicos de sedimentos que estão depositados no canal prejudicando atualmente a navegação. “A dragagem dará maior segurança a navegação no porto e também permitirá ampliar a competitividade do Estado do Rio Grande do Sul perante outros portos. Comemoramos a informação de que teremos o início das obras visto que ela é essencial para a próxima safra de soja“, conclui Branco.

O plano de dragagem foi aprovado em maio deste ano e desde então o projeto aguardava a contratação da empresa de fiscalização e também a disponibilidade orçamentária por parte do Governo Federal. Atualmente o calado máximo do porto é de 12,8 metros. Em 2017, o complexo portuário movimentou mais de 40 milhões de toneladas sendo a soja o principal produto de exportação.

Fonte: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT