Covid-19: Fiocruz fornece apoio à Operação Antártica Brasileira

0
211
IMPRIMIR
Navio Maximiliano da Fonseca está sendo abastecido no porto gaúcho do Rio Grande / RS  Foto ESANTAR/FURG

No próximo verão antártico, em razão da pandemia de Covid-19, os pesquisadores não irão realizar suas atividades de coleta e pesquisa no continente. Ainda assim, diversas ações do Programa Antártico Brasileiro devem continuar durante esse período. A 39ª Operação Antártica Brasileira de 2020/2021 será integrada apenas por militares da Marinha que compõem a tripulação dos dois navios polares brasileiros e o Grupo Base (GB), que irá substituir os 16 militares que estão no momento na Estação Antártica Comandante Ferraz. A Fiocruz está colaborando para a redução de risco dos militares que estão embarcando para esta Operantar.

As ações realizadas pela Fiocruz junto à Marinha foram a testagem, com exames sorológicos e moleculares, de profissionais envolvidos no Treinamento Pré-Antártico (TPA), nos voos de apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) à Antártica e a doação de kits de teste diagnóstico por detecção de antígeno para atender, durante a 39ª Operantar, aos profissionais que embarcarão nos dois navios – Almirante Maximiano e Ary Rongel – e também os que deverão permanecer por um ano na estação.

O teste fornecido é um teste de fácil realização e com resultado rápido que revela a presença de antígenos do vírus da Covid-19. “Este tipo de teste tem uma alta sensibilidade. A vantagem está em sua portabilidade e manuseio mais simples, que não exige estrutura laboratorial. Os resultados ficam prontos em 15 minutos”, explica a assessora da Vice-Presidência de Produção e Inovação em Saúde e integrante do FioAntar, Sanda Soares, que entregou  os kits para o Subsecretário do Proantar da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Secirm), capitão de Mar e Guerra Marcelo Gomes.

Além dos testes, oito profissionais do corpo de saúde da Marinha que fazem parte da Operação Antártica receberam treinamento para manuseio dos kits. Quatro deles também visitaram o Laboratório de Vírus Respiratório e Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC-Fiocruz), onde receberam treinamento para coleta de amostra clínica com SWAB para Covid-19. Antes do embarque, todos os 240 tripulantes dos dois navios também foram testados, com testes moleculares que foram processados na Fiocruz.

“A Antártica é o único continente livre de Covid-19 até o momento. O apoio da Fiocruz à Marinha busca ajudar a preservar esse ambiente e a saúde dos integrantes da Operantar, em consonância com a ideia integrada de saúde única. Esta é também a premissa do projeto de pesquisa da Fiocruz na região, o FioAntar, que considera a saúde ambiental, de animais e humana como indissociáveis”, afirma a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima.

ESANTAR abastece navio Maximiano da Fonseca

O navio Polar da Marinha brasileira Maximiano da Fonseca chegou no porto gaúcho de Rio Grande no domingo, e está atracado próximo a Estação Naval da Marinha. A embarcação está sendo abastecida com roupas, barreiras de contenção, extintores e mantimentos. A operação é coordenada pelos funcionários da Estação de Apoio Antártico da Furg (ESANTAR), responsável pelo logística da operação. Neste ano o embarque dos materiais foi supervisionado  pelo GptFNRG especializado em Defesa Nuclear, Biológica, Quimica e Radiologica (NBQR) dos Fuzileiros Navais, devido a pandemia do Coronavírus.

O Almirante Maximiano, sob o comando do capitão do mar e da guerra Anderson Marcos Alves da Silva, terá como principais atribuições realizar o apoio logístico à EACF, realizar trabalhos de reparação e manutenção em abrigos antárticos e recolher o restante material dos acampamentos. realizadas em operações anteriores.

Estação de Apoio Antártico ( ESANTAR) foi a responsável pelo embarque do material que durou 2 dias

Também serão realizados estudos hidrográficos com o objetivo de atualizar as cartas náuticas sob responsabilidade do Brasil, como membro da Comissão Hidrográfica Antártica da Organização Hidrográfica Internacional (IHO).Para auxiliar na realização da missão, estarão a bordo dois helicópteros de uso geral e um grupo de mergulhadores. Além disso, será utilizado o novo UH-17 do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral, recentemente adquirido pela Marinha.

Os helicópteros representam um importante vetor de apoio para que a Operação Antártica alcance locais remotos e de difícil acesso, faça esclarecimentos sobre campos de gelo e indique a melhor rota a seguir em áreas com grande presença de cobertura glacial. A Operantar é uma das mais complexas e extensas operações regularmente realizadas pela Marinha do Brasil e envolve um planejamento exaustivo para garantir a presença brasileira no continente Antártico.

Vale ressaltar a situação geográfica favorável do Brasil, de relativa proximidade com a Antártica, tornando sua presença naquele continente também uma questão geopolítica estratégica.Sua relevância é ainda mais significativa devido ao papel da Antártica nos sistemas naturais globais, atuando como o principal regulador térmico do planeta, controlando as circulações atmosféricas e oceânicas e influenciando as condições climáticas e de vida na Terra.