Com dólar alto, artigos importados ficam mais raros

0
232
IMPRIMIR
Oferta menor. Fã de cervejas alemãs, o servidor Alessandro Ferreira teve de mudar de marca, pois a sua predileta está em falta

por Martha Beck  e Gabriela Valente / O GLOBO

A alta do dólar tem atrapalhado a vida de quem se acostumou a consumir importados no Brasil. De julho até agora, esses produtos encareceram, em média, 15%, e muitos desapareceram das prateleiras. O presidente da Associação Brasileira de Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas (ABBA), Adilson Carvalhal Junior, explica que o sumiço se deve à cautela das empresas na hora de trazer mercadorias de outros países. Como a moeda americana tem oscilado muito, os empresários preferem adiar as compras.

— Os importadores estão esperando ver para que lado vai o câmbio antes de definir suas compras — afirma.

Dados da CNC mostram que os importados vinham aumentando sua fatia no comércio brasileiro até o terceiro trimestre de 2013, quando o dólar passou a subir, sentindo os efeitos de mudanças na política monetária dos EUA. No segmento de hiper e supermercados, a fatia dos produtos importados era de 3,7% no segundo trimestre de 2013, passou para 4,4% no terceiro e voltou para 3,7% no quarto. Considerando o comércio em geral, a taxa era de 35,5% no período abril-junho, subiu para 36% entre julho e setembro, e terminou o ano em 34%.