Centro de Simulação Naval da USP

0
669
IMPRIMIR
O simulador foi construído com tecnologia totalmente brasileira que reproduz uma ponte completa de comando de navio e tem sistema de visualização em 360º

O secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, juntamente com a equipe técnica da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), participou nesta segunda-feira, 19 de outubro, de uma  videoconferência com vistas a implantação de um Centro de Simulação Naval (CSN), em Rio Grande em parceria com o Arranjo Produtivo Local (APL) Polo Naval e Offshore do Rio Grande do Sul.  O simulador, que opera com software desenvolvido  pela USP – Universidade de São Paulo em parceria com a empresa Technomar, destina-se , entre outros itens, a evitar despesas desnecessárias provocadas por acidentes evitáveis de navios no porto de Rio Grande.

 

A implementação de um Centro de Simulação Naval (CSN) visa, também, treinar três engenheiros que ficarão responsáveis pela capacitação de multiplicadores, e através da inovação gerar ganhos econômicos às empresas integrantes do APL e, também, colaboram para aumentar a competitividade do arranjo, fortalecer sua governança e promovendo o desenvolvimento regional sustentável.  O Centro de Simulação Naval é um dos projetos já aprovados no âmbito do APL Polo Naval e Offshore de Rio Grande e Entorno.

 

O APL surgiu em 2013 e partir da motivação gerada pelo projeto PROMINP Ind P&G 75 “Propostas de política para Mobilização e Desenvolvimento de APLs para o setor de Petróleo, Gás e Naval” coordenado pelo MDIC. Sob coordenação da Universidade Federal do Rio Grande – FURG, foi iniciada uma intensa mobilização para constituir o APL e recebeu apoio da AGDI. Em agosto de 2014 foi fundada a Associação Arranjo Produtivo Local do Polo Naval e Offshore de Rio Grande e Entorno, entidade independente que atualmente conta com mais de 50 associados participantes da cadeia produtiva naval e offshore: Petrobrás, estaleiros, indústrias de diversos segmentos, fornecedores de bens e serviços, instituições de ensino e pesquisa, associações empresariais e sindicatos.

Arranjo Produtivo Local (APL) é um espaço de cooperação econômica onde toda a comunidade participa da construção dos objetivos e rumos de seu desenvolvimento. É composto pelo conjunto de empresas de determinado segmento econômico e de instituições públicas e privadas de apoio, localizadas em uma determinada região. Sua capacidade de articulação e coordenação é capaz de produzir aumento da eficiência produtiva, geração e difusão de tecnologias e agregação de valor à produção, ao mesmo tempo em que amplia a capacidade de apropriação local da renda e a autonomia na definição dos rumos de seu desenvolvimento.