Brasil caça e importa tubarões para sua população comer veneno

0
90
IMPRIMIR
Brasil caça e importa tubarões para sua população comer veneno. Nos USA há campanhas explicativas. Aqui… (Ilustração: Nakawe Project)

“Mislabeling”, termo em inglês que pode ser traduzido como ‘rotulagem errada’ segundo pesquisadores. Para eles a população come carne de tubarão porque nos supermercados e peixarias o animal é vendido com o nome genérico de “cação”, carne bem-aceita especialmente pela falta de espinhos.

‘Mais de 70% das pessoas não sabem que cação é tubarão’

Hugo Bornatowski, professor do Centro de Estudos do Mar da Universidade Federal do Paraná (UFPR), um dos autores do estudo fez a afirmação acima. Qual mesmo? De novo:

Mais de 70% das pessoas não sabem que cação é tubarão

Consumidores dizem já ter comido carne de cação, não de tubarão…

Hugo provou sua tese. Ele e companheiros fizeram uma pesquisa em Curitiba. A maioria dos consumidores disse já ter comido carne de cação, não de tubarão.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) diz que a culpa pelos rótulos não é dela. E passa a bola para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A ANVISA diz ainda que na lista que determina a rotulagem, é permitido o uso do nome comum “cação”, ou “tubarão” para diversas espécies.

Bornatowski explica:

Não dissemos que a rotulagem da carne de tubarão no Brasil é ilegal.Mas o consumidor deve saber o que está comendo e de onde está vindo o produto, o que facilita quanto à conservação e conscientização

Brasil caça e importa tubarões, resultado: somos os maiores consumidores de carne de tubarão.Por quê?

Porque somos um ‘país vira-lata’, e as frotas internacionais que alimentam o mercado de nadadeiras de tubarão, valorizadas no Leste Asiático  , sabem disso.

Proíbe-se o finning no mundo, vende- se carne de tubarões no Brasil

Para que parassem com a matança de tubarões, quando os fisgavam, cortavam suas barbatanas e os devolviam para o mar, em 1998, antes que fossem extintos, foi internacionalmente proibida a pratica do ‘finning’ , termo que define esta sacanagem.

Dilema das frotas: onde descartar carne de tubarão já que a elas só interessa as barbatanas?

Se você pensou, Brasil, acertou. Rodrigo Barreto, bolsista do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul do Brasil (CEPSUL-ICMBio) e líder do estudo, declarou:

Um quilo de nadadeira desidratada de tubarão-martelo, por exemplo, chega a US$ 1,5 mil na Ásia

Você por acaso sabe quanto custa no país de Macunaíma? Um quilo da carne de tubarão gira em torno de R$ 25 a R$ 30. Barreto completa:

Essas frotas expõem aqui uma carne que praticamente ninguém quer

Analfabetismo funcional e venda de carne de tubarão

E por que Brasil e México? Com a palavra Rodrigo Barreto:

São países com grande deficiência em órgãos de vigilância sanitária, sem manejo pesqueiro e que, além disso, convivem com graves problemas de analfabetismo funcional, condições estratégicas para o consumo do produto

A Secretaria de Aquicultura e Pesca não tem dados sobre a captura de tubarão no Brasil

Seria surpreendente se tivesse, você concorda? Afinal, pra que serve mais esta secretaria se não para acoitar indicações políticas…Mas o Brasil, mata sim, tubarões, e não só para vendê-los no mercado, mas para arrancar suas barbatanas, e também na pesca esportiva. Esportiva? Pudera, o Ibama tem apenas três barcos para a fiscalização de todo o litoral. Seguir regras, pra quê? O país é de tal modo esculachado que até hambúrguer deste predador do topo da cadeia é vendido no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha sem que as ‘otóridades’ façam nada…

Brasil caça e importa tubarões para sua população comer veneno

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, sob o qual está a Secretaria de Aquicultura e Pesca, mandou tabela para a BBC.com. Nela consta que “o Brasil liderou as importações de dogfish (chamados de esqualos, em português) e outros tubarões em 2014, quando atingiu o patamar de US$ 45,2 milhões.”

Pra que cuidar da saúde deste povaréu? Pra eles pedirem a cabeça de políticos? Então, que se dane…

O pesquisador Rodrigo Barreto diz que

muita dessa importação se refere a animais pescados no Atlântico Sul por países como Espanha, China e Portugal

E completa:

Esses países têm atuado no Brasil desde a década de 1970, em uma política de arrendamento.

Pesquisadores enlouquecem no Brasil

Não é para menos. Fabio Motta, professor do Instituto do Mar da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em Santos, e também autor da pesquisa reclama:

Faz dez anos que não sabemos o que se captura de peixes na costa brasileira.Temos um apagão da infraestrutura de gestão pesqueira no Brasil, na qual as arenas estão enfraquecidas e algumas nem existem mais.

Conheça a função mais importante dos tubarões, um peixe de 400 milhões de anos

Os tubarões, se extintos, colocarão em colapso os ecossistemas marinhos. O tubarão é predador do topo da cadeia, tem a importante função de regular os estoques de peixes. E também é um habitante do planeta há mais de 400 milhões de anos. É por este motivo que hoje existem diversos santuários de tubarão mundo afora.

Ambientalistas lutam para transformar Fernando de Noronha em santuário de tubarões

Esta é mais uma batalha que só o ICMBio não vê. Há anos sabe-se que o mergulho com tubarões atrai turistas do mundo inteiro. Aqui, alguns abnegados tentam transformar o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha em mais um santuário. Quanto tempo vai levar pro pessoal do ICMBio, e autoridades de Pernambuco sacarem o óbvio? A julgar pela luta para transformar Alcatrazes em área protegida, pelo menos mais 20 anos… Enquanto isso o Brasil caça e importa tubarões…Triste fim de um país que já foi. Já era…

Fonte principal: João Lara Mesquita / BBC.com

Ilustração de abertura: Support Our Sharks